A influência da alimentação na carreira profissional

Essa semana baixou o espírito Magali em mim! Rsrs

Estou surpreendida com o meu apetite nos últimos dias. Ontem, só na parte da manhã, comi quase metade de uma melancia, um pacote de Trakinas, uma mexirica, um suquinho Del Vale e uma banana. E quando deu meio dia, já estava implorando para sair para o almoço, sem contar o potinho de brigadeiro que comprei na volta ao escritório.

Hoje não foi muito diferente: um lanche, um pacote de bolacha, uma banana e um crepe enorme na hora do almoço com direito a outro mini doce (mas não menos recheado) acompanhado de uma bola sorvete.

Claro que, apesar de estar bem alimentada, #tudo bem que nem tudo o que eu comi é saudável#. Mas parando para refletir, uma boa alimentação reflete sim no seu humor e no seu desempenho profissional.

Por isso, resolvi colocar uma matéria publicada no Administradores.com.br, dia 1 de Abril.

Carreiras: alimentação é peça-chave
para rendimento profissional

Quem quer ter bom rendimento no trabalho deve ficar atento ao que coloca na boca. Isso porque, segundo explica a nutricionista e diretora do Sinesp (Sindicato dos Nutricionistas de São Paulo), Renata Azevedo, a alimentação é peça-chave no rendimento profissional.  

A falta de consumo de alimentos por um período superior a quatro horas durante o dia, por exemplo, pode ocasionar problemas com as funções cognitivas, como falhas na memória, baixa concentração ou atenção.

Já a ingestão de alimentos pesados, como carnes muito gordas, feijoada, frituras, massas recheadas acompanhadas de molhos fortes, doces concentrados, entre outros, pode diminuir o rendimento e a concentração, além de aumentar o cansaço e a sonolência, por conta do maior gasto energético exigido pelo processo digestivo.

O que faz bem?

Ainda de acordo com a nutricionista, a alimentação equilibrada e variada é a maior aliada do bom rendimento no trabalho.

No cardápio, diz ela, no geral, o profissional deve incluir carboidratos, como arroz, pães – sobretudo integrais; proteínas, como carnes magras, frango e peixe; produtos lácteos, como leite e iogurte; além de azeite de oliva, frutas, legumes, verduras e muita água.

Para as frutas, orienta Renata, o indicado são três porções diárias, ou seja, três frutas diferentes por dia. O consumo de frituras deve ser restrito a uma vez por semana; e, no que diz respeito ao famoso cafezinho, explica, este deve ser consumido com moderação (no máximo quatro xícaras de 50 ml por dia), podendo ser substituído pelo chá verde.

Quer combater o estresse?

A nutricionista lembra ainda que a alimentação pode ser uma aliada no combate de um problema muito comum aos profissionais modernos: o estresse.

Frutas, como banana e abacate, e chocolate ajudam a liberar um hormônio chamado serotonina, que, por sua vez, é responsável pela sensação de prazer. Outras boas opções, mas que devem ser adotadas de forma moderada, são as castanhas, nozes e amêndoas.

“Quanto ao chocolate, cuidado: ao mesmo tempo que é aliado, ele é vilão”, explicou a nutricionista, em referência às calorias que ele possui. “Os meio amargos ou totalmente amargos são benéficos ao corpo, auxiliam no sistema cardíaco, além de possuírem menos calorias”.

Afinal, como já diz o ditado “cara feia é fome”.

Anúncios

One Response to A influência da alimentação na carreira profissional

  1. Devo dizer que presenciei esse “surto Magali” em você, Bá!
    E sobre essa questão de se alimentar corretamente, nem me fale!
    A briga é feia conosco mesmo, para aprender a se alimentar direito…
    Mas, vamos tentando!
    bj

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: